Etapas de um Projeto de cabeamento de rede

Com os avanços notáveis nas áreas de Tecnologia da Informação (TI) e telecomunicações, é quase inimaginável conceber uma empresa que não execute, em algum ponto de sua jornada, um projeto de cabeamento estruturado para estabelecer uma rede de transmissão de dados de alta velocidade.

Atualmente, o cabeamento estruturado desempenha um papel crucial em diversos setores, como comércio eletrônico, bancos, indústrias, universidades, escolas, hospitais e até mesmo em edifícios e condomínios residenciais. Essas entidades dependem cada vez mais do tráfego de dados, seja para operar sistemas administrativos e de automação, seja para acessar a internet, TV a cabo ou câmeras de segurança.

Assim, muitas empresas se veem na necessidade de reformar suas redes antigas ou, o que se torna cada vez mais comum, começar seus projetos já com uma infraestrutura planejada para o cabeamento estruturado, consolidando a transmissão unificada de sinais de internet, vídeo, dados e voz.

Para ajudar nesse processo, este artigo foi elaborado para fornecer informações abrangentes sobre o cabeamento estruturado, abordando temas como a sua utilidade, a importância de realizar um projeto adequado, as etapas envolvidas na criação de uma rede lógica, a escolha entre par metálico e fibra ótica, as topologias de rede mais comuns, normas e tecnologias atualizadas.

O que é Cabeamento Estruturado?

O cabeamento estruturado constitui uma rede composta por cabos e dispositivos, por onde transitam sinais de dados, voz e vídeo provenientes de sistemas de informação, telecomunicações e controle, seja em edificações comerciais, industriais ou residenciais. Essa infraestrutura viabiliza a comunicação entre servidores (que armazenam dados e sistemas de TI) e estações de trabalho ou terminais periféricos da rede.

Essa integração de todos os sistemas administrativos de uma empresa inclui sistemas de informações corporativas, acesso à internet, alarmes, monitoramento, controle de acesso, segurança, automação predial, circuito fechado de TV (CFTV) e sistemas de energia, entre outros. Embora esses sistemas possam ser estruturados separadamente, a integração em uma infraestrutura única oferece diversos benefícios.

Vantagens do Cabeamento Estruturado

A implementação de um projeto de cabeamento estruturado proporciona várias vantagens na operação de sistemas de controle, administração e telecomunicações:

  1. Melhora no desempenho da rede de telecomunicações.
  2. Aumento da segurança da rede.
  3. Suporte integrado ao tráfego multimídia, possibilitando a incorporação de novos sistemas para atender às demandas dos usuários.
  4. Unificação de vários serviços em um único cabeamento, resultando em menor custo de mão de obra e instalação da rede.
  5. Facilidade de identificação, aquisição e controle de cabos.
  6. Maior longevidade do cabeamento de sistemas.
  7. Facilita a instalação de novas conexões.
  8. Simplifica a identificação de erros na rede de telecomunicações.
  9. Proporciona simplicidade e rapidez para realizar manutenções e expansões futuras da rede.
  10. Melhora o aspecto visual das empresas, uma vez que a rede é planejada.

Etapas do Projeto de Cabeamento Estruturado

O projeto de cabeamento estruturado para a instalação de uma infraestrutura de rede envolve várias etapas, incluindo:

FASE 1: Coleta de Dados (Checklist)

Nesta etapa inicial, ocorre uma análise detalhada das necessidades do cliente. São discutidos requisitos específicos da instalação, tipos de redes disponíveis, topologias, cabos e velocidades de transmissão de dados. O projetista também avalia as características arquitetônicas da edificação, garantindo conformidade com normas específicas, quando aplicável.

FASE 2: Cálculos e Planta Baixa do Projeto

A segunda etapa envolve o cálculo e desenho dos requisitos da infraestrutura da rede, considerando o número de pontos de recepção de informações, localização da sala de equipamentos, quantidade e localização dos backbones, topologia da rede, cabeamento horizontal e vertical, entre outros aspectos. Esses detalhes são representados graficamente em plantas baixas e plantas de detalhes.

FASE 3: Memorial Descritivo

O memorial descritivo contém uma descrição detalhada da infraestrutura a ser executada, incluindo a descrição geral da rede, sistemas a serem implantados, aterramento, proteções elétricas, especificações de materiais, equipamentos, topologia e tipos de cabos determinados para a obra, bem como as normas consideradas no projeto.

FASE 4: Planilha de Materiais e Custos

Nesta etapa, é elaborada uma planilha detalhada com a quantidade de cabos, equipamentos passivos, backbones e dispositivos necessários para a execução do projeto de cabeamento estruturado. Essa planilha serve como base para a estimativa de custos de implantação da rede.

FASE 5: Execução da Obra

A instalação da rede de cabeamento estruturado requer mão de obra qualificada com experiência na execução de projetos de rede. A escolha de uma empresa de engenharia elétrica multisserviços, capacitada para realizar não apenas o cabeamento, mas também reformas e adaptações civis necessárias, é crucial. A instalação pode exigir adaptações na infraestrutura arquitetônica da edificação, como forro rebaixado, piso elevado, construção de paredes ou instalação de calhas e eletrodutos.

FASE 6: Projeto “As Built”

O projeto “as built” é elaborado após a conclusão da obra e serve para documentar a situação final da infraestrutura, proporcionando um registro preciso para futuras manutenções ou alterações.

Escolha dos Cabos: Metálicos ou de Fibra Ótica?

A escolha entre cabos metálicos e de fibra ótica depende das necessidades específicas do cliente, considerando largura de banda, qualidade de sinal, velocidade de transmissão, custo do projeto e particularidades do ambiente.

Os cabos metálicos mais comuns são de par trançado (UTP ou FTP) e coaxiais.

Já os cabos de fibra ótica oferecem vantagens como maior largura de banda e imunidade a interferências eletromagnéticas, mas podem ter um custo inicial mais alto.

Topologias de Rede

As topologias de rede definem a forma como os dispositivos estão interconectados. As topologias mais comuns incluem:

  1. Topologia em Estrela: Todos os dispositivos são conectados a um ponto central, como um switch. É fácil de instalar e gerenciar, mas pode ser mais caro, pois requer mais cabos.
  2. Topologia em Anel: Os dispositivos são conectados em um formato de anel. Oferece redundância, mas a falha em um ponto pode interromper toda a rede.
  3. Topologia em Barramento: Um único cabo conecta todos os dispositivos. É simples, mas a falha em um ponto pode afetar toda a rede.
  4. Topologia em Malha: Cada dispositivo está conectado a vários outros, proporcionando redundância e robustez. No entanto, pode exigir mais cabos e ser mais complexo.

Normas e Tecnologias Atualizadas

A implementação de padrões e normas de cabeamento estruturado é fundamental para garantir a qualidade e desempenho da rede. As normas mais conhecidas são as da TIA/EIA e ISO/IEC.

De acordo com os padrões da norma, o projeto de cabeamento estruturado deve conter pelo menos os seguintes setores:

  1. Entrada de telecomunicações: local de conexão entre o cabeamento externo e o cabeamento interno da edificação. Abriga o distribuidor geral (GD) e os cabos provenientes das fornecedoras dos serviços de internet e telecom.
  2. Sala de equipamentos: conhecida como sala técnica, é o ambiente destinado a abrigar equipamentos de telecomunicações. Dentre ele o PABX, modems, roteadores switch core e servidores.
  3. Cabeamento vertical: são os cabos que fazem a conexão entre a sala de equipamentos e os vários pontos de utilização dos serviços dos andares.
  4. Armários de Telecomunicações: são quadros, armários ou salas onde ficam os painéis de distribuição. Ficam também as interconexões com o cabeamento horizontal.
  5. Cabeamento horizontal: conjunto de cabos, quase sempre instalados no teto ou sob o piso. Estes fazem a conexão entre a área de trabalho e a sala de telecomunicações com a topologia estrela.
  6. Área de trabalho: local onde os usuários da rede utilizam os serviços, mediante a instalação de pontos para estações de trabalho.

Além disso, é essencial estar atualizado com as tecnologias emergentes, como o padrão Ethernet mais recente, equipamentos de rede de última geração e tecnologias de gerenciamento remoto.

Conclusão

O cabeamento estruturado é uma parte vital da infraestrutura de rede moderna, proporcionando uma base sólida para as operações diárias de empresas e organizações. Um projeto bem-executado pode resultar em melhor desempenho, facilidade de gerenciamento e capacidade de expansão para atender às crescentes demandas por largura de banda e conectividade.

Ao considerar a implementação de um projeto de cabeamento estruturado, é recomendável envolver profissionais qualificados, desde a fase de planejamento até a execução da obra. A escolha adequada de materiais, a conformidade com normas e a adaptação à infraestrutura existente são aspectos críticos para o sucesso do projeto.

Com a rápida evolução da tecnologia, é importante manter-se informado sobre as últimas tendências e inovações no campo do cabeamento estruturado. Dessa forma, as empresas podem garantir que sua infraestrutura de rede seja capaz de atender às demandas atuais e futuras, proporcionando uma base sólida para o crescimento e a inovação contínuos.

Fonte: https://omsengenharia.com.br/blog/cabeamento-estruturado-projetos/


Publicado

em

Tags:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *